Thursday, January 7, 2010

Como se tornar um profissional de Forense Digital?

Atualmente trabalho com grandes nomes do cenário de computação forense no Brasil. Um destes nomes é Raffael Vargas, consultor forense da TechBiz Forense Digital.

Vargas escreve um ótimo texto sobre Como se tornar um profissional de Forense Digital na sua coluna do iMasters, o qual eu tomo a liberdade de transcrever neste blog:


"Esta é uma das perguntas que mais recebo ultimamente. Pensei em escrever este artigo logo após receber um email, solicitando como, onde e em quanto tempo uma pessoa se torna um Profissional de Forense Digital.
Posso neste artigo lhe mostrar o caminho das pedras, mas quem terá de andar até elas é você. Como naquela pequena parábola "Deus manda a chuva, mas nós temos de plantar", então vamos estudar, estudar e estudar.
Primeiramente para iniciar em alguma atividade Forense, seja ela em qualquer ramo, temos de entender o que seria forense. Não vou relatar como a forense iniciou, quem a criou ou como é foi desenvolvida. Pretendo, sim, apresentar como nos tornamos profissionais em Forense Digital, este outro tópico pode ser encontrado nos demais artigos escritos.
É preciso buscar este entendimento do que seria Forense Digital em um curso de nivelamento no ramo. Existem várias empresas e vários cursos sobre Forense Digital ou Forense Computacional, pois são as mesmas coisas, mas procure saber primeiro a idoneidade da instituição, quem irá ministrar o curso, qual sua importância e influência no mercado, pois nem tudo que reluz é ouro.
Não podemos esquecer que todos os cursos necessitam de uma experiência em Informática Básica, Infra Estrutura e o Básico em Sistemas de Arquivos, então o aluno tem que ter realizado uma Faculdade ou um Técnico em Informática, pois aprender "do nada" é muito difícil.
O pessoal que queira ingressar no ramo da Forense Digital tem de ter um entendimento amplo em Segurança da Informação e Infraestrutura de Redes de computadores, pois normalmente necessitam de entendimento de padrões e Leis de conformidade, que são utilizadas nos setores de segurança da Informação, além das investigações serem realizadas em evidências vivas (em Rede) ou posmorten (disco rígido).
Após este contato inicial com o mundo Forense Digital, tente realizar atividades que possam agregar valores ao seu aprendizado, que serão utilizadas no futuro de um profissional em Forense Digital, como:
  1. Cópias Forenses de Discos Rígidos. Esta é uma atividade que pode ser realizada em casa, com aplicações free, para fins de estudo;
  2. Estudo de metodologias de Forense Digital, como Aquisição, Preservação, Análise e outros;
  3. Busca de conhecimento em ferramentas Forenses. Existem várias ferramentas, então foque em um tema, como por exemplo  a Esteganografia, e busque o conhecimento nesta ferramenta;
  4. Leitura de Material em Forense Digital, pois ler é uma das atividades que mais são realizadas nesta área;
  5. Leitura de material de Direito Digital é uma atividade importantíssima, pois para um perito ou investigador privado, é necessário ter entendimento do que se pode ou não realizar e como apresentar os dados.
Estes pontos são pontos para serem estudados e entendidos ao longo do tempo, pois aprender é sempre bom e o dia todo estamos aprendendo algo. Inseri um item somente para a Leitura de Material de Direito Digital, pois é uma área que é nova no mercado e existem poucos profissionais, porém muito competentes, que realizam estas atividades. Então estudo muito esta área.
Depois de entender o mundo Forense Digital, vamos para as certificações. Hoje, no mercado brasileiro, existem algumas certificações que são respeitados no mundo inteiro. Quase todas as certificações são relativas a ferramentas ou a fabricantes, mas existem várias que são aceitas no mercado nacional.
As certificações mais válidas no mercado mundial em softwares:
  • EnCE (EnCase Certified Examiner), do fabricante Guidance;
  • ACE (AccessData Certified Examiner), do fabricante AccessData;
Logo após, temos certificações referentes a cursos, no Brasil e fora do país, como:
  • CCFT (Certified Computer Forensic Technical);
  • GIAC (Global Information Assurance Certification), da SANS, neste há vários cursos em Forense Digital;
  • CEH (Certified Ethical Hacker), estudo profundo;
  • CHFI (Certified Hacker Forensic Investigator);
  • ACFEI (American College of Forensic Examiners Institute) é uma instituição de Forense, com várias áreas de atividade.
Com algumas destas certificações você já está apto a trabalhar como um Profissional em Forense Digital, pois lhe darão suporte em conhecimento e visibilidade no mercado."


fonte: http://imasters.uol.com.br/artigo/12212

1 comment:

Anonymous said...

É um imenso prazes trabalhar ao seu lado Luiz.
Fique a vontade para transcrever os artigos do Imasters.
RGV

Post a Comment