Monday, May 28, 2012

Australiana publica foto de pilha de dinheiro no Facebook e é assaltada


Dois bandidos encapuzados invadiram a casa da mãe de uma adolescente australiana horas depois de a vítima postar uma foto no Facebook de uma pilha de dinheiro, parte de uma poupança de sua avó.

A polícia de New South Wales disse nesta segunda-feira que os homens, armados com um taco e uma faca, invadiram a casa da mãe da jovem de 17 anos no interior de Bundanoon na noite de quinta-feira. Segundo a polícia, os homens disseram que queriam falar com a menina sobre o dinheiro. A mãe, de 47 anos, disse que a jovem já não vivia mais com ela.

Mesmo assim, os criminosos vasculharam toda a casa e roubaram uma pequena quantidade de dinheiro e outros bens de valor antes de sair. Ninguém ficou ferido no incidente. A polícia disse que mais cedo, na mesma quinta-feira, a menina tinha postado uma foto em seu perfil do Facebook de uma "grande quantidade de dinheiro" o que chamou a atenção dos agentes.

A jovem estava ajudando a sua avó de 72 anos a contar as notas em uma casa em Sydney, a 120 Km de Bundanoon, onde aconteceu o crime. Especula-se que a adolescente estaria brincando de "gangster" ao tirar fotos com muitas notas de dinheiro. A polícia local emitiu uma nota e pediu que as pessoas evitem ostentar valores na internet, para evitar casos como esses.

Tuesday, May 22, 2012

Interpol lança site sobre pedófilos procurados pelos países do G8

A organização de cooperação policial internacional - Interpol, anunciou o lançamento de um site acessível ao grande público reunindo os anúncios de busca de supostos pedófilos dos países do G8.


Criado em colaboração com o Centro de Combate à Exploração Infantil da Polícia britânica (CEOP), esse site representa um “novo instrumento que visa a identificar e deter supostos pedófilos procurados nos países do G8, reunindo todas as iniciativas nacionais em uma plataforma internacional”.

Acessível pela página da Interpol (www.interpol.int), ele reúne todos os anúncios de busca lançados pelas polícias nacionais dos países do G8 (Estados Unidos, Canadá, França, Itália, Japão, Reino Unido, Alemanha e Rússia) e “deverá se tornar uma referência”, ressalta a organização de cooperação policial internacional, com sede em Lyon (França).

“Este novo site vai se basear no trabalho efetuado pelo CEOP e dar ao público de todo o mundo um acesso vital às informações sobre as formas de identificar criminosos sexuais procurados, com o objetivo de assegurar que as crianças e as famílias sejam protegidas”, declarou Alan Campbell, subsecretário de Estado britânico.

Crime cibernético é aprovado para entrar no Código Penal



A comissão de juristas do Senado que discute um novo Código Penal aprovou a inclusão de um capítulo para crimes cibernéticos.

O relator da comissão, o procurador regional da República Luiz Carlos Gonçalves, disse que o texto é mais abrangente do que o aprovado na semana passada pelo plenário da Câmara dos Deputados, no calor do episódio do vazamento das fotos da atriz Carolina Dieckmann.

NÃO HÁ PREVISÃO NA LEI ATUAL PARA TIPIFICAR OS CRIMES CONTRA A INVIOLABILIDADE DO SISTEMA INFORMÁTICO, OU SEJA, AQUELES COMETIDOS MEDIANTE USO DE COMPUTADORES OU REDES DE INTERNET. A POLÍCIA, O MINISTÉRIO PÚBLICO E A JUSTIÇA ENQUADRAM TAIS CRIMES COMO DELITOS COMUNS.

Os juristas propuseram introduzir ao Código Penal conceitos legais que não existem no atual ordenamento jurídico, como dados de tráfico, provedor de serviços, sistema informativo.

A comissão decidiu considerar como crime o mero acesso não autorizado a um sistema informatizado, mesmo que não repasse os dados. Os juristas entenderam que não é necessário haver prejuízo pessoal ou para empresa para que o crime ocorra. O delito ficará caracterizado se alguém "acessar indevidamente ou sem autorização, por qualquer meio, sistema informático, especialmente protegido, expondo os dados a risco de divulgação ou de utilização indevida".

O crime de acesso indevido é de seis meses a um ano de prisão ou multa. A pena pode ser acrescida de um sexto a um terço caso esse acesso resulte em prejuízo econômico.

O acesso não autorizado que resulte na obtenção de conteúdo de comunicações eletrônicas, segredos comerciais e industriais, informações sigilosas previstas em lei, ou controle remoto indevido do dispositivo invadido, fica configurado o crime de intrusão qualificada, com pena de um a dois anos de prisão e multa.

Perfis falsos - A comissão aprovou ainda um agravante para quem criar e usar um perfil falso de uma pessoa ou empresa na rede. O crime é enquadrado atualmente no delito de falsidade ideológica e, se for cometido em sistemas informatizados ou redes sociais, a pena poderia aumentar em um terço ou até a metade.

O anteprojeto da comissão para o Código Penal é considerado mais amplo do que o aprovado na semana passada pela Câmara porque trata de mais tipos penais do que a proposta apoiada pelos deputados - que veio para análise do Senado.

A comissão de juristas deve apresentar um texto final até junho ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Caberá a ele decidir se propõe um único projeto ou incorpora as sugestões a propostas que já tramitam na Casa.

Monday, May 21, 2012

5 pessoas que foram demitidas por causa do Twitter


Já são vários os casos de profissionais que perderam seus empregos devido a super-exposição em redes sociais: falam o que pensam, sem pensar nas consequências... 

Alex Glikas
No Brasil, um dos casos mais notórios foi o do diretor comercial da Locaweb, Alex Glikas. Poucas pessoas sabiam de detalhes da vida pessoal do executivo até que ele, durante uma partida de futebol entre São Paulo e Corinthians em 2010, resolveu escancarar no Twitter seu coração corintiano. Enquanto o clássico acontecia, Glikas tuitou uma série de insultos, inclusive homofóbicos, aos torcedores do São Paulo. Para agravar a situação, a Locaweb havia fechado um acordo de patrocínio com o time tricolor e Glikas chegou até a mencionar a empresa em um de seus tweets: “Vamo (sic) Locaweb! Timão eooo!”. A atitude do diretor causou ira entre fãs do São Paulo, que iniciaram uma campanha nas redes sociais pela sua demissão. Poucos dias depois, a Locaweb anunciou o desligamento de Glikas, que apagou os polêmicos tweets e deixou apenas um recado arrependido: “Minhas sinceras desculpas à torcida e ao time do SPFC. No calor do clássico, o torcedor tomou conta do profissional. Não acontecerá de novo.”



Twitter oficial da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
Quem trabalha com mídias sociais precisa tomar cuidado extra com o que publica – especialmente com o que publica no Twitter oficial do seu trabalho. No começo de 2012, o funcionário responsável pela conta da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (@imprensaPR) confundiu sua conta pessoal com a da Secretaria e acabou retuitando um site de humor. “Com a volta de Luiza, quem tá indo pro Canadá é o Serra…”, dizia o tweet. A mensagem fazia referência a uma propaganda que ficou famosa na época e brincava com a figura do ex-adversário da presidente Dilma Rousseff, o tucano José Serra. O autor do post foi demitido, o tweet deletado e o perfil oficial ainda comunicou: “Pedimos desculpas a todos pela publicação não autorizada, hoje, neste perfil, do retuíte indevido de um site humorístico”.



Thiago Vieira
O fotógrafo Thiago Vieira trabalhava no jornal Agora São Paulo quando o clube Palmeiras estava decidindo quem seria seu novo presidente, em janeiro de 2011. Enquanto esperava para tirar fotos do escolhido Arnaldo Tirone, ele usou sua conta pessoal no Twitter para publicar um recado chamando os palmeirenses de “porcos”.
O tweet foi visto por conselheiros do clube paulistano, que entraram na sala de imprensa e retiraram o fotógrafo. Em seu Twitter oficial, o Palmeiras postou que “após ofender a torcida, o fotógrafo Thiago Vieira não trabalhará mais no Palmeiras. O jornal para o qual ele trabalha já foi comunicado”. O Agora reprovou a agressão sofrida por Vieira na sala de imprensa, mas também informou que o fotógrafo não prestaria mais serviços para o jornal.




Alec Duarte e Carolina Rocha
No jornalismo a “cultura do furo” é extremamente importante. Os veículos competem entre si para ver quem lança a notícia primeiro. Não é incomum, por exemplo, que existam obituários prontos de pessoas importantes, com imagens e textos já separados para serem publicados o mais rápido possível. Quando, em março de 2011, o ex-vice-presidente José Alencar morreu, o então editor-assistente de política da Folha, Alec Duarte, fez referência a essa prática jornalística. Sem citar nenhuma pessoa ou veículo específico, ele escreveu: “nunca um obituário esteve tão pronto. É só apertar o botão”. A repórter do Agora SP, Carolina Rocha, respondeu dizendo que a notícia da morte de Alencar ainda não estava no site da Folha.com. Por causa da troca de tweets, os dois jornalistas, que trabalhavam para o mesmo grupo, foram demitidos.



Vanderlei Luxemburgo
Quando era técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo estava tendo problemas com o atacante Keirrison. Para desabafar, ele escolheu postar no Twitter críticas ao jogador e ainda terminou dizendo que, mesmo se Keirrison não fosse negociado (na época o atacante estava prestes a ser vendido para o Barcelona), “comigo ele não joga mais”, tuitou. Apenas duas horas depois, o técnico tuitou novamente, dessa vez dizendo que havia sido demitido do Palmeiras por “discordar das atitudes de Keirrison”.


Via Exame.com

Friday, May 18, 2012

ACFE - Association of Certified Fraud Examiners


Mais uma afiliação: desde o dia 11/maio faço parte também do ACFE, uma associação internacional de investigadores de fraudes. O ACFE é a maior organização mundial anti-fraude e um grande fornecedor de  treinamentos nesta área. Já são mais de 60.000 membros dividindo experiências para reduzir o "mercado de fraudes".

Maiores informações sobre a ACFE disponível em http://www.acfe.com.

Monday, May 14, 2012

Cuidado no tratamento da informação agora é lei


Publicada no dia 18 de novembro de 2011, a Lei 12.527 passa a ser obrigatória para órgãos públicos que precisam assegurar a gestão transparente e a segurança dos seus dados.

Todo o cuidado é pouco para lidar com as informações produzidas e armazenadas em um ambiente corporativo. Por isso, a partir deste mês, órgãos públicos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário passam a se adaptar às disposições gerais da Lei número 12.527, que regula o acesso à informação, estabelecendo procedimentos para assegurar a gestão transparente e a segurança dos dados. As empresas públicas deverão tomar providências para proteger seus ativos contra perda, alteração indevida, acesso, transmissão e divulgação não autorizados.

“A Lei 12.527 demandará a adoção imediata pelos órgãos envolvidos de uma Política de Segurança da Informação adequada aos requisitos sistêmicos operacionais que, por sua vez, deverão estar em conformidade legal”, diz o advogado Alexandre Atheniense, especialista em Direito Digital.
Leia o artigo completo aqui.

Friday, May 11, 2012

Suas informações em risco: Facebook não garante privacidade

Na rede social que mais cresce no mundo, o sigilo dos dados não é um ponto forte e mesmo nos perfis mais restritos sempre é possível descobrir algo sobre o proprietário.

Por Jacques Miranda de Oliveira

Depois de pesquisar as redes sociais – em especial o Facebook – e os hábitos dos seus usuários por mais de dois anos, afirmo: por mais controle e segurança que exista na rede social mais popular do mundo, em nenhum grau é possível garantir privacidade.



Por mais que alguém se utilize de instrumentos de privacidade física, como o controle de senhas e limitações de acesso ao seu perfil para apenas determinadas pessoas, o que é exposto no Facebook para este grupo seleto não é objeto de seu controle.

O estudo, conduzido em nível de mestrado na Universidade Braz Cubas de Mogi das Cruzes, deixa claro alguns pontos, principalmente na maneira como cada pessoa interpreta aquilo que vê. Este é um fenômeno semiótico, que quer dizer “a maneira como eu, usuário do Facebook, tiro conclusões a respeito de determinadas pessoas com base em fotos inseridas, textos ou informações sobre o seu perfil”, em outras palavras, aquele que insere informações no Facebook não tem a menor ideia de como será interpretado e fica a mercê de um conceito – ou preconceitos – a respeito.

Todo indivíduo fica à sombra da descoberta por outras pessoas de uma nova identidade a seu respeito, que pode gerar admiração ou repulsa e não falamos de uma análise psicológica, mas sim de um conjunto de fatores que dizem por si só.

A pesquisa analisou algumas “personagens” da internet, incluindo personalidades como: cantores, apresentadores de TV e jogadores de futebol e conseguiu determinar características que certamente não são vistas ao primeiro, segundo, terceiro encontro, por exemplo.

Risco
Algumas pessoas entram no Facebook e acreditam: ali não terão sua intimidade invadida pelo simples fato de limitarem o acesso a determinadas pessoas.

Fazem um paralelo com a ideia: “seria o mesmo que permitir que somente apenas algumas pessoas frequentassem minha casa”. Entretanto, as pessoas podem contar para outras pessoas suas percepções e interpretar da forma que bem entender.

Parafraseando o Big Brother, personagem do livro de Orwell – 1984, pode-se afirmar que não há um caso sequer que não fora possível descobrir algo sobre determinada pessoa. Mesmo no perfil mais discreto e restrito é possível encontrar ou deduzir algo a respeito do proprietário com grandes chances de acerto.

A técnica utilizada para a descoberta das identidades ocultas é a semiótica greimasiana, uma disciplina de origem francesa que estuda os símbolos que o ser humano transmite, seja ao escrever, ao colocar uma foto, ao expor seus hábitos, suas tribos. Com ela, é possível determinar algumas características, em especial o que o usuário pretende dizer disso tudo, ou qual o recado ele quer mandar e nem imagina que está escrito lá.

Recomendação
Para todas as pessoas que não desejam ver suas vidas expostas, não usem as redes sociais, em especial o Facebook.

E não é radicalismo, sim realismo. Entretanto, na condição de especialista em marketing lembro: num mundo moderno, a comunicação é ponto-chave para o sucesso nos negócios, no relacionamento e na vida.

Então, é melhor acostumar-se com o Big Brother do que ficar encapsulado num mundo offline.

Artigo original disponível em http://webinsider.uol.com.br/2012/04/11/suas-informacoes-em-risco-facebook-nao-garante-privacidade/. Artigo republicado com autorização do autor. Todos os direitos reservados.

Monday, May 7, 2012

Vazam fotos de Carolina Dieckmann nua

Uma série de fotos que retratam a atriz Carolina Dieckmann nua cairam na internet na tarde da sexta-feira dia 04/05. O assunto rapidamente virou trending topic no Twitter. Em uma das fotos, a atriz posa sentada em um vaso sanitário. Em outra, está deitada numa banheira, coberta por água. Ela usa o próprio celular para fazer algumas das imagens. Em outras, é clicada por outra pessoa, que não aparece.


O advogado da atriz Carolina Dieckmann, Antonio Carlos Almeida Castro, conhecido como Kakay, informou que um inquérito será aberto na Polícia Civil nesta segunda-feira, dia 7/mai, para investigar o vazamento de fotos íntimas da atriz. Segundo ele, Dieckmann prestará depoimento e entregará seu computador para perícia na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro.

O conteúdo estava publicado em um domínio da Inglaterra, o qual foi contatado pelo advogado, que solicitou a retirada do material. "Eles alegam que precisamos comprovar a autoria das imagens para que as fotos sejam retiradas do site. É comum nesses sites de conteúdo pornográfico a hospedagem em outros países", afirmou. Hoje, dia 7/mai, o conteúdo já não está mais disponível.

Apesar de afirmar que não existem suspeitas sobre o vazamento das imagens, Castro confirmou que o computador da atriz passou por manutenção em uma autorizada Apple há pouco tempo e que o conteúdo pode ter sido copiado.

Carolina Dieckmann vinha sendo chantageada há cerca de um mês, por e-mail. As mensagens cobravam da atriz o valor de R$ 10 mil para que as imagens não fossem divulgadas. O advogado colocou Carolina em contato com autoridades de segurança do Estado. Sem alarde, tentou-se armar um flagrante. Orientada, a atriz simulou concordância. Após a troca de mensagens, o autor da tentativa de extorsão ficou de marcar a hora e o local onde o pagamento seria feito. Para surpresa de Carolina e das pessoas que lhe guiavam os passos, as fotos foram intespetivamente levadas à internet na última sexta-feira (4/mai). Frustrou-se, assim, o almejado flagrante.

O caso será registrado nas áreas cível e criminal. De acordo com o advogado, a atriz pedirá na justiça reparação por danos a sua imagem, assim que o culpado for identificado. Além disso, Castro pedirá uma liminar para impedir a publicação das fotos sob pena de multa diária. Na área criminal, o caso será enquadrado como furto e tentativa de extorsão, já que não há na legislação brasileira a tipificação de crimes virtuais.

"Não existe uma legislação forte e específica para este tipo de crime. Existem muitos projetos tramitando, mas ainda estamos muito atrasados em relação a isso", afirmou o advogado. "É preciso ter seriedade sobre essa questão. É uma exposição excessiva da imagem, inclusive de seu filho. Ela quer preservar sua intimidade e os direitos de sua família."

Maiores informações: Estadão

Update 07/05 16:52

Alguns órgãos de imprensa estão tentando relacionar o ocorrido com a atriz Carolina Dieckmann com os casos semelhantes envolvendo as atrizes Scarlett Johansson e Mila Kunis, onde crackers obtiveram acesso não autorizado a conta de e-mail contendo fotos da intimidade das atrizes.

Pelas informações já divulgadas até o momento, aparentemente a atriz brasileira foi vítima de técnicos de uma empresa de manutenção quando seu computador foi levado para reparos, E NÃO DE CRACKERS.

Update 07/05 17:23

Direto da coluna de Ancelmo Gois, para o jornal O Globo:


Há duas semanas, Carolina Dieckmann levou seu computador, onde estavam as tais fotos íntimas, para conserto numa loja Mac [sic]. É apenas hipótese. Mas a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, que hoje ouve a atriz, investiga se algum funcionário copiou as fotos, objeto de chantagem.

Update 09/05 17:44


Mais uma da coluna de Ancelmo Gois, para o jornal O Globo:

Perdeu fôlego a hipótese de que Carolina Dieckmann teve suas fotos íntimas surrupiadas na MacStore do shopping Downtown, na Barra, aonde levou seu computador para conserto. A polícia, que já ouviu a empresa, aposta agora em outra linha de investigação.

Update 13/05 23:58


Segundo [o delegado Gilson] Perdigão, um dos crackers enviou para o email de Carolina [Dieckmann] uma mensagem com códigos maliciosos. Como a atriz clicou no arquivo anexo, seu computador, um MacBook, acabou infectado. Os crackers, então, conseguiram a senha do email pessoal de Carolina.

A atriz teria sido vítima de um cavalo de Troia para Mac, o qual provavelmente permitiu a instalação de um keylogger da vida e o roubo da sua senha de email, onde foram então encontradas as suas fotos. Conforme contamos há alguns dias, a polícia inocentou a assistência técnica autorizada Apple de participação no crime. [Fonte: INFO]

Update 16/05 16:00

Excelente artigo do meu amigo Sandro Suffert sobre o caso Carolina Dieckann: http://sseguranca.blogspot.com.br/2012/05/hackerazzi-carolina-dickmann.html. O que realmente aconteceu. Recomendo muito a leitura do artigo!

Update 28/05 12:25

Um adolescente de 17 anos foi apreendido na manhã desta segunda-feira (28) em Carapicuíba, na Grande São Paulo, suspeito de ter invadido o site da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e publicar fotos da atriz Carolina Dieckmann nua. As imagens foram colocadas na página principal do site em 15 de maio. Maiores informações em http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/05/adolescente-e-suspeito-de-invadir-site-da-cetesb-diz-policia.html

Saturday, May 5, 2012

Sites pornôs são mais seguros do que sites de carros, saúde e música

Pelo menos é o que afirma a pesquisa realizada pela Symantec e divulgada esta semana. De acordo com o estudo "Internet Security Threat Report", sites de pornografia estão apenas em 10° lugar na lista de domínios mais perigosos. Segundo a empresa de segurança, apenas 2,4% dos sites pornôs estão contaminados com malware, abaixo até de endereços sobre saúde/medicina (2,7%), automotivos (3,8%) e entretenimento/música (3,8%). Na liderança distante, blogs, com quase 20% de endereços contaminados.

Outra descoberta é que sites religiosos e de política possuem o triplo de infecções e ameaças que os pornôs.

Para a Symantec, uma interpretação para este fenômeno é que os donos de sites pornográficos vivem da renda gerada pelos endereços, por isso o cuidado com a segurança.

Em geral, sites contaminados tentam injetar conteúdo malicioso no micro do internauta - este tipo de ataque é conhecido por "drive-by download". Se a máquina do usuário estiver sem um bom antivírus, as chances de ser infectado e nem perceber são grandes.

O relatório afirma que, embora o número de vulnerabilidades na internet tenha caído 20% ano passado, o de ataques maliciosos disparou 81%. Além disso, os cibertaques dirigidos contra empresas estão se espalhando e atingindo organizações de todos os tamanhos.

A empresa afirma ter bloqueado 5,5 bilhões de ataques em 2011. O número de malwares únicos aumentou para 403 milhões, enquanto a quantidade de ataques via web barrados diariamente cresceu 36%.

Ao mesmo tempo, os níveis de spam caíram 20%. O relatório diz que os cibercriminosos estão usando mais os kits de ferramentas (toolkits) para explorar melhor as brechas existentes. Outro movimento é que estão deixando de usar somente o e-mail e adotando também as redes sociais para lançar ataques.

Maiores informações e relatório completo disponíveis aqui.

Fonte: IDG Now!